24 de agosto de 2015

A vida na terra é fruto do "Acaso" ? - Parte 2


Complementando a parte 1 deste tema. Por que a terra é tão especial ? Quais as evidências que ela não é fruto do acaso e de simultâneas coincidências ? Uma das coisas que mais me chamam a atenção é o fino ajuste da Terra no Universo, que é uma forte evidência de que a Terra foi criada por Deus, ao contrário do que as teorias evolucionistas

Veja o texto a seguir retirado de Criacionista pela Fé e pela Razão.

Ajuste fino do Universo
O Universo está organizado por leis físicas e químicas muito bem calibradas, sendo que conhecemos hoje cerca de 26 constantes universais, ao passo que, se alterarmos só uma delas, o Universo simplesmente se desfaz. É como se o Universo estivesse equilibrado no fio de uma navalha! Exemplos: se mudarmos a lei da gravidade um pouquinho que seja, haveria um colapso geral do Universo. Se alterássemos as leis que prendem os elétrons em sete orbitais entorno do núcleo do átomo, todo o Universo seria destruído, uma vez que os elétrons colapsariam para a primeira camada.

O próprio fato de haver as leis universais, que são em si informação, já é um forte argumento em favor da criação do Universo, e não do Big Bang, uma vez que o acaso não gera informação, e muito menos uma informação tão complexa que rege todo o Universo e nossas vidas. Para haver Universo, temos que ter matéria, energia e... informação! E informação só pode ser gerada de uma mente pensante.

Posição da Terra na Via Láctea
Se pudéssemos ver a nossa galáxia fora dela, veríamos que o Sistema Solar (que inclui a Terra) está em uma posição privilegiada que possibilita a existência de vida, quase na ponta de um dos braços da Via Láctea. Toda a alta radiação vinda do núcleo da Via Láctea é barrada por poeira, astros e outros bilhões de corpos celestes, funcionando como um escudo natural para a vida na Terra. Se a Terra estivesse mais próxima do núcleo, a vida seria aniquilada.


Posição da Terra no Sistema Solar
A Terra é o terceiro planeta, de dentro para fora, a orbitar o Sol, estando a uma
distância média de 150 milhões de quilômetros do Sol. Está na chamada "zona habitável", onde o calor do Sol chega à Terra em uma temperatura média de 13ºC, ideal para a vida que conhecemos. Só pra ter uma ideia, Marte tem uma temperatura média de -53ºC e Vênus tem uma temperatura média de 477ºC, ou seja, inviável para abrigar a vida.

Movimentos da Terra  
A rotação é o movimento em que a Terra gira em torno de si a uma velocidade de 1674 Km/h na linha do Equador. Se girasse mais devagar, a temperatura na superfície se elevaria muito e a vida seria destruída; se girasse mais rápido, a temperatura não seria suficiente para esquentar os oceanos e os continentes de forma que a vida pudesse sobreviver, além do fato que a gravidade talvez não seguraria nada por aqui, dependendo da velocidade. 

Já a translação da Terra entorno do Sol, associada à inclinação do eixo de rotação, que é de 23º27', possibilita a existência das estações do ano, tão importantes para a renovação da vida na Terra.

Um outro movimento da Terra, a precessão, que é como se a Terra estivesse girando como um pião prestes a cair, associado com as revoluções da Lua, possibilita a existência das marés, que por sua vez são importantes para a vida marinha e até a terrestre. Se o movimento de precessão tivesse uma inclinação um pouco maior, as marés poderiam ser tão grandes que gerariam tsunamis constantes. Perceba, o Criador pensou em tudo!

A Terra e a Lua 
E já que mencionamos a Lua acima, vimos que ela é um dos fatores responsáveis pela precessão da Terra, junto com a inclinação do eixo da Terra, mas também é preciso que a distância média da Lua em relação à Terra seja ideal, senão a Lua "escaparia" para o espaço se fosse uma distância maior ou colidiria com a Terra se fosse uma distância menor e geraria gigantescas tsunamis antes disso. Sua revolução elíptica entorno da Terra está muito bem calibrada, ajudando inclusive no desenvolvimento das plantas, sendo que os agricultores sabem disso, esperando a "lua certa" para plantar, e essa influência é comprovada pela ciência.

Outra evidência é o fato de que a Lua funciona como um escudo protetor para a Terra, contra muitos corpos celestes que vagueiam e ameaçam a Terra, sendo visíveis as crateras em sua superfície resultantes de impactos meteoríticos.

A teoria convencional nos diz que a Lua surgiu de uma colisão de um grande corpo celeste com a Terra primitiva, mas confesso que é bastante forçado acreditar que ela teria se formado e orbitado na posição ideal para a vida em relação à Terra. Essa teoria convencional diz que a Terra e a Lua se formaram juntas há 4,6 bilhões de anos, com base em datações radiométricas, mas a quantidade de poeira na superfície lunar corresponde apenas entre 7 e 8 mil anos para a Lua, e consequentemente para a formação da Terra, sendo que foi medido 0,5 e 8 cm de camada de poeira na Lua, onde se esperava de 132 a 297 metros de poeira acumulada.

Os eclipses lunar e o solar só são possíveis graças à distância ideal da Lua em relação à Terra e ao Sol, mas os evolucionistas dizem que isso é "pura coincidência". Será? Que outro sistema possibilita eclipses perfeitas como o Terra-Lua-Sol?


Por fim, muitos povos antigos achavam que o Sol e a Lua eram quase do mesmo tamanho. Hoje, se sabe que o Sol é muito maior que a Lua, conforme sugere Gênesis 1:16 (veja abaixo). O Sol é quase 400 vezes maior em diâmetro que a Lua e a Lua está 400 vezes mais próxima da Terra que o Sol. Daí a ilusão de ótica.

''Deus fez os dois grandes luminares: o maior para governar o dia e o menor para governar a noite; fez também as estrelas.'' (Gênesis 1:16) 

A Bíblia e a Terra
''Ele estende o norte sobre o vazio e faz pairar a terra sobre o nada.'' (Jó 26:7)

O texto acima nos trás duas informações científicas. Primeiro, Deus já havia revelado que o norte da Terra, ou seja, a projeção do eixo imaginário da Terra no espaço, se estende a um vazio de estrelas. Hoje se sabe que há realmente este vazio de estrelas no "norte" da Terra. 

Segundo, Deus revelou que a Terra paira sobre o vácuo, o nada. Isso em uma época em que os gregos ainda acreditavam que a Terra estava sendo literalmente segurada pelo deus Atlas, como punição de Zeus; já os hindus (atuais indianos) acreditavam nessa época em que o livro de Jó foi escrito que a Terra era sustentada sobre uma enorme tartaruga e quatro grandes elefantes. Analisemos o próximo texto.

"E disse Deus: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco. E assim foi." (Gênesis 1:9)

Note que Deus dividiu a Terra em duas porções ao organizar a Terra que antes estava "sem forma e vazia" (Gênesis 1:2), o que podemos perfeitamente entender como as chamadas "Pantalassa" e "Pangeia", termos que a geologia atual chama a única porção de água e terra que existiram no passado. Mas alguém poderia argumentar que a Terra já teve os continentes divididos antes da Pangeia, mas isso não invalida o texto de Gênesis, se considerarmos que antes Deus diz que a Terra estava "sem forma e vazia", ou seja, ainda não organizada para abrigar a vida. E também sabemos que a teoria das hidroplacas pode explicar perfeitamente a relativa rápida separação da Pangeia até chegar à condição que temos hoje de todos os continentes.

''Ele é o que está assentado sobre a redondeza da terra, cujos moradores são como gafanhotos; é ele quem estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para neles habitar;'' (Isaías 40:22)

Neste texto de Isaías, que é do 7º século a.C., podemos entender que Deus já havia revelado que a Terra é "redonda", mesmo antes dos gregos descobrirem isso por meio de Eratóstenes de Cirene (276-196 a.C.), que calculou a circunferência da Terra pela primeira vez com uma boa aproximação do que sabemos hoje, que é de 40.075 Km de circunferência. Algumas pessoas argumentam que este texto de Isaías não se refere à redondeza da Terra, e sim à abóboda da Terra em uma perspectiva de uma Terra plana, mas isso não encontra apoio nas melhores interpretações do texto original. A palavra hebraica "hhug" pode ser tanto traduzida como "círculo" quanto "esfera", segundo A Concordance of the Hebrew and Chaldee Scriptures (Concordância das Escrituras Hebraicas e Caldéias), de B. Davidson.

A proporção de gases da Terra em relação a outros planetas
Vênus: 95% de gás carbônico, 1,9% de nitrogênio e traços de oxigênio.Marte: 98% de gás carbônico, 2,7% de nitrogênio e 0,13% de oxigênio.Terra: 0,03% de gás carbônico, 79% de nitrogênio e 21% de oxigênio. Esta proporção é ideal para haver vida na Terra. Se tivesse uma quantidade menor de gás carbônico na atmosfera, limitaria o crescimento das plantas e permitiria grande variação de temperatura. A concentração de Oxigênio na atmosfera é de 21%. Se fosse um pouco maior (25%), seria quase impossível apagar incêndios.

A água da Terra
A Terra é o único planeta conhecido com água o suficiente para sustentar a vida. E a água se encontra nos seus três estados físicos no nosso Planeta: sólido, líquido e gasoso.

A água é um ótimo solvente, transporta nutrientes no nosso corpo e ajuda a manter a temperatura do nosso planeta por meio das correntes marítimas e retenção do calor durante o dia e liberação aos poucos à noite. 

Devido ao gelo ser mais leve que a água líquida, a vida pode ser mantida nos rios, lagos e mares. A camada de gelo impede que toda a água congele e, assim, peixes e outros animais aquáticos sobrevivem no inverno.

O tamanho da Terra
A Terra possui um tamanho adequado para possibilitar a vida, pois se fosse muito grande sua gravidade seria muito forte, e se fosse muito pequeno sua gravidade seria fraca e sairíamos flutuando pelo espaço.

A atmosfera da Terra
A atmosfera terrestre é um escudo protetor contra raios ultra-violeta (UV), X, gama, infra-vermelho, meteoros e mantém a temperatura ideal para a vida à noite, junto com as águas dos oceanos, sendo que é um efeito estufa natural benéfico para nós, moradores deste planeta azul tão belo. Também nos protege contra meteoritos que são desintegrados ao entrar em atrito com a atmosfera. Sem ela, a vida estaria aniquilada.

O campo magnético da Terra
O campo magnético da Terra, gerado no núcleo, funciona como um verdadeiro escudo protetor contra os ventos solares (alta radiação). Antevidência genial! O Criador pensou em tudo!

Há também outro recém-descoberto escudo protetor da Terra contra os raios cósmico, na região dos cinturões de Van Allen, que simplesmente não permite a penetração dos elétrons de alta energia.

Existem outras "terras"?
Recentemente a mídia anunciou a descoberta do planeta Kepler-186f e A NASA diz que pode ser que aja vida lá, pois está em uma posição ideal de sua estrela e tem quase o mesmo diâmetro da Terra. Mas as condições para haver vida em um planeta são muito específicas, não são apenas duas ou três condições que possibilitam a vida, são inúmeras condições finamente ajustadas e indissociáveis.

Conclusão
Como podemos notar, a Terra é muito especial no Universo. Não é qualquer planeta que tem todas essas condições finamente ajustadas para abrigar a vida, sensível como ela é. Sem uma dessas condições apresentadas acima e muitas outras não mencionadas, a vida na Terra não existiria. É uma questão bastante simples.

A Terra é como um bercinho de bebê, com todas as condições ideais para que a vida possa estar nela. Tem a temperatura certinha, a iluminação adequada, tem a proteção certinha, tem a comida disponível, tem a proteção do pai e da mãe, tem animais pra interagirem conosco, tem até mesmo estrelas pra que nós possamos contemplar a beleza do Universo e é toda decorada para que nós possamos viver felizes. E querem que você e eu acreditemos na estorinha da evolução... 

''Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis.'' (Romanos 1:20)

Leia também nossa primeira postagem sobre este tema. E curta nossa página no Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário