23 de março de 2010

Jesus Cristo Mudou meu Viver

Jesus Cristo mudou meu viver
Jesus Cristo mudou meu viver
É a luz que ilumina meu ser
Sim, Jesus Cristo mudou meu viver

Diferente hoje é o meu coração
Diferente hoje é o meu coração
Cristo deu-me paz e perdão
Sim, diferente hoje é o meu coração

O amor só conhecia em canções
Que falavam de ilusões
Mas tudo agora é diferente,
Cristo fala com a gente
Pois Cristo deu-me seu amor

Jesus Cristo mudou meu viver
Jesus Cristo mudou meu viver
É a luz que ilumina meu ser
Sim, Jesus Cristo mudou
Ele mudou meu viver

O amor só conhecia em canções
Que falavam de ilusões
Mas tudo agora é diferente,
Cristo fala com a gente
Pois Cristo deu-me seu amor

Diferente hoje é o meu coração
Diferente hoje é o meu coração
Cristo deu-me paz e perdão
Sim, diferente hoje é o meu coração

Jesus Cristo mudou meu viver...


16 de março de 2010

Pastor da Assembléia de Deus se converte ao Islã: Finalmente, a verdade.

A notícia da surpreendente conversão do líder paraibano da AD foi dada em programa de TV local e rapidamente estourou na WEB cristã.

O pastor João de Deus Cabral, líder da Assembléia de Deus (Madureira) no estado da Paraíba, surpreendeu a todos com a revelação de que teria se convertido ao Islã, juntando-se aos mais de 27 mil muçulmanos no país. A notícia que chocou muitos cristãos – principalmente os pentecostais – foi publicada no portal OGalileo e divulgada em diversos blogs e sites. A revelação foi feita durante o programa Sales Dantas, na TV Litoral. No programa, João se apresentou como ex-presidente da Assembléia de Deus do Ministério Madureira, e testemunhou acerca da sua experiência de conversão à religião de Alá.

Após as primeiras informações, o Blog Genizah decidiu investigar o caso e descobriu que a filha do ex-pastor é casada com muçulmano e vive em Dubai, para onde João viajava com certa freqüência, muitas vezes sem o conhecimento dos irmãos. Com o tempo, o discurso de João Cabral foi ficando cada vez mais estranho, culminando no pedido de desligamento da Assembléia de Deus e negociação da venda da igreja que liderava. O comprador da igreja teria sido o pastor Napoleão Falcão, afastado da Assembléia de Deus no Brasil há alguns anos por conta de escândalos de natureza moral.

Com a apuração dos fatos, algumas das afirmações do ex-pastor se tornaram insustentáveis, como por exemplo, o fato de ele ter presidido as Assembléias de Deus no estado da Paraíba (Convenção). Não mentiu, no entanto, quando disse que era ministro reconhecido pela denominação, havendo ocupado cargos importantes, como o de secretário da Convenção do estado da Paraíba e pastor responsável por algumas igrejas em João Pessoa.

João de Deus Cabral apresentou razões teológicas para sua “apostasia”. Segundo ele, a doutrina da trindade e a celebração do natal no dia 25 de dezembro foram algumas das “heresias” que o fizeram mudar de trincheira. No entanto, parece-nos estranho que um pastor com o mínimo de instrução sinta-se escandalizado com o fato do natalício de Jesus ser comemorado pela igreja no dia 25 de dezembro. Atualmente, mesmo não-crentes sabem que a data foi escolhida pela igreja e que a festa veio a substituir a tradicional festa pagã do sol.

No processo, alguns chegaram a afirmar que as razoes para o desvio do pastor não foram teológicas, mas financeiras. Eduardo Leandro Alves, secretário de missões da AD Madureira na Paraíba, disse que ele não foi seduzido pela doutrina islâmica, mas pelos “petrodólares” oferecidos a ele depois que se tornasse um líder muçulmano. A análise da história nos remete às Escrituras que, em casos como este, é autoritativa e contundente:

“Mas o espírito expressamente diz que nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios [...] E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita”. 1Tm 4.1; 2Pe 2.3

Matéria Vento Oriental sobre o ocorrido.
Fonte Genizah

8 de março de 2010

Sexo Virtual - Apenas Dois Cliques de Você


É impressionante o número de cristãos sinceros que são atingidos pela febre digital de consumo de sexo. Já perdi a conta de quantos relatos ouvi e de quantas pessoas tiveram sua vida sexual destruída por conta disso. Tudo começa como uma diversão, olha um site aqui, vê um filme ali, até que se entra em salas de bate papo e se começa a assumir uma outra identidade, a de prostituto(a) virtual.

As pessoas começam a liberar seus instintos mais primitivos e colocar para fora suas fantasias mais bizarras. Quando você para pra olhar ao redor, não sobrou mais nada, virou vício, e o camarada está trocando uma boa noite de amor com sua mulher por um momento de masturbação em frente ao monitor.

Deus pode e quer mudar esse quadro na sua vida, Ele tem poder para isso. Mas é necessário entrega total dos pontos, colocar as cartas na mesa e assumir o fundo do poço. Só assim, arrependendo-se dia a dia das práticas sexuais virtuais é que alcançaremos a libertação total. Se por um acaso, você recair, saiba que você tem um advogado no céu junto ao pai, Jesus Cristo, o justo! Não desista, ore apesar da vergonha, não aceite a culpa que o diabo quer impor a você, apenas prossiga, Deus tem a cura para esse vício!

E no mais, tudo na mais santa paz!

Fonte : [Pulpito Cristão]

Lei PL 122 - Debate Pr. Silas Malafaia


Quando Malafaia informa sobre a tentativa sórdida de senadores de passar a aprovação da Lei através de um mecanismo que no “mundo real” é considerado estelionato, a ex-deputada Iara Grissi não se escusa da acusação, apenas justifica a tentativa de golpe: “ A lei vinha sendo debatida por mais de 4 anos...” Convido os meus leitores a assistirem o vídeo com o relato do Malafaia sobre o caso e a atitude nobre do Senador Demóstenes Torres que impediu o estelionato. Sim, estelionato sem figura de linguagem. Fato. Esta escaramuça para se obter assinatura por meio que leva o lesado ao engano é conhecido meio de quem pratica este crime. Qualquer delegado enquadra um pilantra que tenta obter a assinatura de alguém por este meio.
A cafajestada da ex-deputada ao afirmar um resultado quase favorável (isto é desfavorável, risos) na pesquisa (ou enquête) feita no site do Senado Federal sobre a aceitação do PL 122.

Quem acompanha blogs cristãos sabe que esta Lei foi motivo de variadas tentativas de malversação de resultados, tendo sido retirada do ar todas as vezes em que a esmagadora maioria rejeitava o referido projeto de Lei.


Debate Silas Malafais Lei PL 122 - Parte 1


Debate Silas Malafais Lei PL 122 - Parte 2

É melhor eu estar num trio elétrico do que numa igreja cantando música gospel


'Eu estou levando as pessoas para a luz', diz Claudia Leitte

Confira a entrevista de Claudia Leitte concedida a revista Rolling Stone:

Você diz não seguir religião alguma, mas é bastante religiosa. Depois de ficar famosa nenhuma religião se aproximou de você pensando que você poderia divulgá-la? Sim, com certeza. E isso te afasta mais da ideia de uma religião organizada?
Sim, porque eu não quero levar ninguém comigo pra religião nenhuma, de jeito nenhum. Eu quero cantar e ser feliz cantando, e dividir a felicidade com as pessoas. Eu acho que Deus não impõe. A moça que trabalhava lá em casa falava pra mim, "ah, meu pastor diz que eu não posso usar brinco". Como uma pessoa pode dizer isso? Que coisa mais ditatorial! Não pode usar brinco por quê? Deus vai olhar para o seu coração, não pro seu corpo. Deus vai estar lá se importando com as roupas que você usa? Quantas pessoas usam uma saia até o pé e são super, hiper promíscuas? Ou então um assassino, que mata uma pessoa e depois diz "oh, meu Deus, meu Senhor" e vai pra igreja orar com a Bíblia? Isso é muito louco: o brinco, a roupa, a religiosidade... Elas não definem o caráter de ninguém.

É difícil imaginar uma porta-voz melhor do que você para uma religião: jovem e casada, tem filho, é famosa, tem sucesso.

Eu quero ser é porta-voz de Deus, o que Deus fala através de mim, o tempo todo. Que eu seja mais Deus do que eu. É isso o que eu quero. O tempo todo eu acho que a gente precisa parar de brigar com a gente mesmo pra gente ser melhor.

Sua música também serve de pano de fundo para o que acontece com as pessoas que vão se divertir no trio elétrico: muita pegação, uma coisa muito sexualizada. Ao mesmo tempo, você é uma pessoa casada, com filho. Como você vê essa distância entre as pessoas e você?
Eu tenho uma responsabilidade maior como cidadã, porque eu tenho um microfone na mão. Eu acho que as pessoas são responsáveis pelas atitudes delas e o que eu faço ali em cima pode não mudar nada. O cara vai fazer o que ele quiser no meu show, independente do que eu faça ali. É melhor que eu esteja ali cantando se eu pensar que eu sou um exemplo. seria mais eficaz do que eu estar numa igreja cantando música gospel. "Eu estou levando as pessoas para a luz [risos]".
Mas eu não penso desse jeito. É muita pretensão eu achar que vou fazer um show e todas as pessoas vão ficar boas porque o meu exemplo é bom. Eu não sou um bom exemplo de nada, só tenho uma vida assim porque eu escolhi.

Mas o que você acha dessa cultura da pegação no carnaval?
Acho que cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. Quer ir, fique à vontade, vá. Tudo tem consequência na vida. Eu escrevo muito sobre isso no meu blog. Cheguei numa festa aqui em São Paulo, no ABC, e tinham umas meninas lindas vomitando no lado do carro. Isso é bizarro!

Algumas vezes essas coisas viram para você também. Você repreende os rapazes da plateia que falam absurdos para você. Mas você também projeta uma imagem sensual. Como você impõe esse limite entre a percepção do público?
Não gosto de vulgaridade e isso está explícito. Por exemplo: eu não gosto de biquíni fio-dental. Eu não usaria isso no palco porque não me sentiria à vontade, acho que isso seria ser excessiva no palco. E as opiniões das pessoas vão sempre divergir, vão olhar pra mim como um poço de sexualidade. Outras, como uma figura fashion. E outras vão dizer que eu sou brega. Isso vai acontecer ainda que eu esteja com a saia até a canela, lá embaixo. É normal. Acho que eu sou bem resolvida, então isso talvez me dê uma segurança para abusar da sensualidade. Sou mulher, a minha música é sensual: eu vou cantar axé sem colocar a perna de fora? Já fiz show em Campos do Jordão e estava, sei lá, seis graus e eu suei no palco, por causa da luz, da movimentação. Nem combina, né? É uma coisa tropical. Tenho que ser tropicaliente. Eu gosto disso, eu gosto da sensualidade, da vulgaridade não.

FONTE : [ Revista Rolling Stone ]

A Palavra Profética

Virou moda falar a palavra profética. Entretanto, a moda que se fala nada tem a ver com o que de fato é profecia. Estão confundindo ‘profecia’ com ‘teologia da confissão positiva’.

Tenho observado que nos vários seguimentos religiosos onde o termo tem sido usado, a tal palavra profética é utilizada tão somente como afirmação do que se deseja. Isto é, afirma-se o que se deseja e atribui-se a afirmação a uma obrigação de Deus em realizá-la.

O pequeno detalhe de que se esquecem é que, em toda Escritura Sagrada, jamais uma profecia foi gerada pelo profeta. Todas as profecias são geradas pelo Espírito de Deus e o profeta é apenas seu porta-voz. Não nos é outorgado, ao menos nas Escrituras, qualquer autoridade para falar o que desejamos declarando ser essa a palavra da profecia do Espírito. Toda nossa autoridade consiste em anunciar a profecia já revelada nas Escrituras.

Nenhum profeta jamais declarou algo proveniente de seus desejos como se fosse palavra do Espírito. O próprio apóstolo Paulo teve zeloso cuidado em não cometer tal ultraje, quando falou seu desejo ou opinião disse: “digo eu, não o Senhor” (1 Coríntios 7:12).

A palavra profética é gerada do Espírito Santo e transmitida pelos profetas. Por isso, não há uma só profecia que diga: “eu declaro”, ou “eu determino”, ou “eu profetizo”. A verdadeira profecia diz: “Assim diz o Senhor”.

E, afinal, o que o Senhor diz? Haveria alguma revelação a mais que Ele queira dizer que não tenha dito nas Escrituras? A menos que o Apóstolo Paulo tenha se enganado redondamente, não há mais o que Deus queira revelar. Disse Paulo: "Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema" (Gálatas 1:8).

É realmente impressionante como muitos desejam conhecer mais a Deus sem querer conhecer mais as Escrituras. Dizem querer experiências com Deus sem querer conhecer o que Deus já nos deu para experimentarmos, a saber, sua Palavra. Querem conhecer a Cristo sem conhecer a Palavra, que é Cristo. Enquanto os Romanos trocaram o relacionamento com Cristo, da Palavra para a hóstia, os pentecostais trocaram o relacionamento, da hóstia para as “experiências”, o empirismo.

Através do empirismo, muitos querem descobrir o que Deus não revelou, ao tempo em que rejeitam o que está revelado. Quando não entendem o que a Bíblia diz, ou quando o que ela diz contraria o que crêem, dizem que isso não pertence ao homem saber, que está oculto em Deus. Ora, quanta incoerência! Se Deus escreveu nas Escrituras Sagradas, está revelado! Ao invés de dizerem que não pertence ao homem saber, deveriam ter a humildade de querer aprender. Afinal, se o Espírito não revelar o que está escrito, porque revelaria o que não está? E se não pertence ao homem saber o que está escrito, porque Deus escreveu? Não é estupidez querer entender o que não está revelado nas Escrituras (e isto sim ao Senhor pertence) e negligenciar o que está revelado?

A função do Espírito Santo não é nos ensinar o que não foi revelado, não é nos fazer adivinhar, e sim nos lembrar e ensinar todas as coisas que Jesus falou (João 14:26).

Assim, a Palavra profética consiste em anunciar o Reino de Deus e a sua justiça. Hora promovendo a virtude, hora denunciando o mal.

Palavra profética não é declarar jargões positivistas. Não foi assim que procederam os profetas e os apóstolos. Muitos sofreram martírio, exatamente, por causa das injustiças e heresias que denunciaram. Logo, ser profeta, hoje, é anunciar a profecia revelada nas Escrituras, é levar amor de Deus aos carentes através das boas obras, é anunciar o Reino de Deus, que “é justiça, paz e alegria no Espírito Santo” (Romanos 14:17). Mas não é só isso, a Palavra Profética é aquela que se levanta contra as injustiças sociais, o mau uso dos recursos naturais, o abuso da boa fé popular, o legalismo religioso, a corrupção, as heresias e coisas semelhantes a essas.

Infelizmente a verdadeira palavra profética não interessa aos “grandes profetas”, líderes religiosos, cada vez mais envolvidos em conchavos políticos e cegos pela sede de poder. Para esses, quanto menos conhecimento (Bíblico ou científico) o povo tiver, mais fácil será dominá-lo, e isso é o que lhes importa. E assim, prosseguem com seu empirismo e charlatenismo, fazendo-se semi-deuses, enganando a massa burra, construindo seus impérios “acima das estrelas de Deus” (Isaías 14:13).

Meu amigo, não se deixe enganar, já dizia Jesus, “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim” (João 5:39).

“porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos” (Mateus 24:24).

Fonte : [Genizah]