28 de fevereiro de 2009

Cristiane Carrillo (Lançamento CD em Breve)

Cristiane Carrillo, cantora, serva do Senhor Jesus Cristo, minha amiga lá do Acre, lançando o seu primeiro CD. Vento Oriental não só quer apoiar, mas estamos aqui orando para que por meio do seu louvor o Senhor Jesus Cristo seja glorificado na sua vida, e que muitos possam ser agraciados. Cris, Deus é contigo.




26 de fevereiro de 2009

Simbologia

Olá. Como estou fazendo um apanhado sobre símbolos cristãos e pagãos, toda semana atualizo o blog com alguns símbolos cristãos. No final vou disponibilizar o rascunho do meu apanhado para download. Semana passada postei sobre o ICHTHUS (Peixe). Bom é sermos esclarecidos, por que ás vezes usamos um símbolo pagão e nem sabemos a maldição que ele pode nos trazer. Esta semana trago o Alfa e o Ômega.Quem sentir o desejo de contribuir, só entrar em contato.




ALFA E OMEGA
Alfa é a primeira letra do alfabeto grego e Omega é a ultima letra, portanto Deus esta dizendo que ele é o primeiro e o último que não há nada mais além dele. Existem três passagens em que esta simbologia é usada.

Apocalipse 1:8 Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso.

Apocalipse 21:6 E disse-me mais: Está cumprido; Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.

Apocalipse 22:13 Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro.

25 de fevereiro de 2009

Hillsong United - Me viniste a rescatar



Reflexão sobre o tempo

Um breve comentário: Sempre anotei na minha agenda os cultos que frequentei, temas, versículos chaves para estudar novamente em casa. Mas agora decidi fazer isso em forma de blog, para poder, quem sabe um dia compartilhar com outras pessoas. Se você foi ao culto esta semana, se quiser compartilhar a mensagem pregada, entre em contato através do blog para podermos publicar.

24.02.2009

Culto : Sede
Pregação : Pastor Nilton

“Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim” Filipenses 3.13


Uma passagem bíblica que é muito conhecida. Ela nos leva a fazer uma reflexão do tempo. Toda nossa vida gira em torno do tempo. O tempo composto para nós de passado, presente e futuro. Paulo nessa carta ele fala sobre isso.

Nosso presente e o nosso futuro são conseqüências do nosso passado. Amanhã estarei colhendo oque plantei hoje. Mas para muitas pessoas, o passado tem estragado o presente. Paulo disse “Esquecendo-me das coisas que atrás ficam”.

Quando nos arrependemos, e somos remidos por Cristo, a culpa do pecado nos é retirada. Não temos mais motivos para ficar lembrando de nosso passado de erros.
Devemos esquecer nosso passado em pecado. Lance o fora. O diabo costuma a nos acusar dos pecados que cometemos para nos enfraquecer.

“... e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar.” Miquéias 7.19

Na profundeza do mar existem lugares que o homem nem chegou ainda. Lugares impossíveis de se chegar. A Bíblia fala que Deus joga os nossos pecados no MAR DO ESQUECIMENTO. Então o diabo não pode nos acusar.

Devemos também esquecer as ofensas que recebemos para não criar amargura em nosso coração. Quando temos algo contra alguém a melhor coisa a se fazer é procurar a pessoa e resolver o problema conversando
Temos que perdoar sempre para poder receber o perdão de Deus. Pastor Nilton até chamou a atenção nesse ponto. Para sermos salvos, temos que perdoar.
Quando levamos a amargura no coração, não estamos esquecendo nosso passado de pecado. Muita gente leva essa mácula a outras pessoas na igreja comentando. Não devemos fazer comentários sobre isso. Devemos perdoar, conversar, esquecer, em últimos casos levar ao Pastor da Igreja o problema. Mas jamais sair comentando com outros membros.

“Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.”MT 6.15-16

Temos que esquecer as atitudes erradas também. Ás vezes tomamos uma decisão errada, ou perdemos uma oportunidade. Esqueça ! Não fique se culpando, não deixe que a angústia tome conta do seu coração. A angústia leva a depressão.
O passado já passou, mas infelizmente traz algumas conseqüências.

Quando Paulo fala para esquecer as coisas que atrás ficam, ele fala das coisas ruins, que nos impedem de avançar. Mas as coisas boas não devemos esquecer. Devemos nos lembrar das experiências que tivemos com Deus, que fizeram com que nos cresçamos espiritualmente. Devemos nos lembrar oque Deus fez por nós. Temos que ter gratidão com as pessoas que nos ajudaram, não devemos esquecer estas coisas.
Não devemos esquecer das promessas que Deus nos fez.

Paulo também fala do presente. Fala que está avançando para as coisas que estão na sua frente. Coisas que ele vê, ele fala de presente. Não podemos parar no nosso presente. Afinal, o presente de hoje é o passado de amanhã. Temos que fazer com que o nosso futuro seja mais íntimo com Deus, para isso temos que avançar, seguir a diante no nosso presente.
Claro que temos os problemas. Jesus nos prometeu problemas também, mas também sabemos que em Jesus temos o livramento. Pastor Nilton falou uma coisa interessante.
Disse que a vida cristã não é uma redoma de vidro intocável, um campo de força que você está protegido por toda a vida. Ao contrário.
Deus não te protege do problema, mas te livra NO PROBLEMA. Hoje em dia tem muito Mar vermelho na nossa frente ainda, e Deus ainda nos fala – MARCHE !
Nós devemos seguir em frente, a parte de abrir o mar é com Deus.
Não deixe o seu presente enrolado de forma que te impeça de tomar a decisão por Cristo. Nós cristãos precisamos ser constantes e firmes.

Paulo também fala de futuro. “prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Versículo 14.
Ou seja, temos que visualizar nosso alvo, para não perdermos nosso rumo. O Alvo é nosso futuro. É oque você almeja alcançar. Se desejas comprar uma casa em três anos, oque você vai fazer hoje para que daqui a três anos você compre a sua casa ? E oque você vai fazer amanhã ? E semana que vem ? Temos que mirar no alvo, e avançar para ele. Nosso alvo deve ser em coisas concretas.
E nosso alvo espiritual qual é ? Ás vezes pensamos só nas coisas aqui deste mundo, mas devemos ter alvos espirituais também.

Obrigado Deus pela tua palavra que nos ensina, nos corrige, nos molda.
Em nome de Jesus amém.

24 de fevereiro de 2009

Por que Jesus ia as Festas ?

Eu tinha planejado escrever um capítulo baseado em doze versículos esta semana, mas não consegui passar do segundo versículo; isso não deveria acontecer. Espera-se que apresente a história completa. Tinha a intenção de fazê-lo, na verdade. Mais fiquei atrapalhado. O segundo versículo não me largava, me tomou como refém, então dediquei a lição completa a um versículo. O resultado foi uma pequena frase cativante.

Lhe contarei sobre a mesma, depois de preparar o cenário.

Imagine seis homens caminhando por um caminho estreito. O amanhecer dourado irrompe detrás deles, fazendo que se alonguem suas sombras para frente. O frescor da madrugada obriga a cingir firmemente as roupas. A grama resplandece pelo efeito dos diamantes de orvalho.

Os rostos dos homens têm veemência, mas são comuns. Seu líder é seguro, mas desconhecido. O chamam Rabi; mais parece com um operário. E está certo que seja assim, pois passou muito mais tempo construindo que ensinando. Mas esta semana começou o ensino.

Para onde se dirigem? Ao templo para adorar? À sinagoga para ensinar? Às colinas para orar? Não lhes disse, mas cada um tem sua própria idéia a respeito.

João e André esperam que os leve ao deserto. Ali foi onde os levou seu mestre anterior. João Batista os guiava às colinas desérticas e oravam muitas horas. Jejuavam vários dias. Anelavam a chegada do Messias. E agora, o Messias está aqui.

Certamente Ele fará o mesmo.

Todos sabem que o mandamento é ser um homem santo. Todos sabem que o negar-se a si mesmo é o primeiro passo para a santidade. Com toda certeza a voz de Deus é ouvida primeiro pelos eremitas. Jesus nos leva à solidão. Pelo menos é o que pensam João e André.

Pedro tem uma outra opinião. Pedro é um homem de ação. Do tipo de pessoa que arregaça as mangas. Dos que se levantam e falam. Agrada-lhe a idéia de ir para algum lugar. O povo de Deus necessita estar em movimento. Talvez nos leve a algum lugar para pregar... pensa consigo mesmo. E ao caminhar, Pedro rabisca seu próprio sermão, caso Jesus necessite de um descanso.

Natanael estaria em desacordo. Vem e vê, tinha convidado ao seu amigo Felipe. De modo que veio. E Natanael gostou do que viu. Em Jesus viu um homem de pensamento profundo. Um homem de meditação. Um coração para a contemplação. Um homem que, como Natanael, tinha passado horas sob a figueira refletindo sobre os mistérios da vida. Natanael estava convencido que Jesus os levava a um lugar onde meditar. Uma silenciosa casa numa distante montanha, para lá nos dirigimos.

E a respeito de Felipe? O que pensava ele? Era o único apóstolo de nome gentio. Quando os gregos vieram procurando Jesus, Felipe foi a pessoa da qual se aproximaram. Possivelmente tivesse contatos gregos. Talvez tivesse um coração para os gentios. Por ser assim, esperava que esta travessia fosse uma viagem missionária... fora da Galiléia. Fora da Judéia. Entrando numa terra distante.

Aconteceu essa especulação? Quem sabe? Sei o que acontece hoje em dia.

Sei que os seguidores de Jesus frequentemente se alistam com elevadas aspirações e expectativas. Os discípulos entram nas fileiras com programas não verbalizados, mas sentidos. Lábios prontos para pregar, aos milhares. Olhos fixos em costas estrangeiras. Sei para onde Jesus vai me levar, proclamam os jovens discípulos, e assim eles, igual aos primeiros cinco, o seguem.

E eles, igual aos primeiros cinco, ficam surpreendidos.

Talvez foi André quem perguntou. Ou talvez foi Pedro. É possível que todos tenham se dirigido a Jesus. Mas aposto que em nenhum momento da viagem os discípulos expressaram suas suposições.

— Então, Rabi, para onde nos conduzes? Para o deserto?

— Não — opina outro —, nos leva ao templo.

— Ao templo? — desafia um terceiro —. Nos dirigimos para onde estão os gentios!

Depois se gera um coro de confusão que somente acaba ao Jesus levantar sua mão e dizer com suavidade:

— Vamos a uma boda.

Silêncio. João e André se entreolham.

— Uma boda? — dizem —. João Batista jamais teria assistido a um casamento. Ora, se ali se bebe, há risos e danças...

— E barulho! — aponta Felipe —. Como se pode meditar num casamento barulhento?

— Ou pregar? — agrega Pedro.

— Por que temos que ir a um casamento?

Boa pergunta. Por que Jesus levaria a seus seguidores, em sua primeira viagem, a uma festa? Não tinham trabalho para realizar? não tinha princípios para ensinar? Não era limitado o seu tempo? Como podia caber uma boda em seu propósito na terra?

Por que Jesus foi ao casamento?

A resposta? Está no segundo versículo de João 2 (o versículo do qual não pude passar). "E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas".

Quando os noivos fizeram a lista de convidados, incluíram o nome de Jesus. E quando Jesus se apresentou com uma meia dúzia de amigos, não foi revogado o convite. Quem quer que fosse o anfitrião dessa festa, estava feliz de que Jesus estivesse presente.

— Se certifiquem de escrever o nome de Jesus na lista — talvez tivesse dito —. Ele verdadeiramente dá vida a uma festa.

Jesus não foi convidado por ser uma celebridade. Ainda não o era. O convite não foi motivado pelos milagres. Ainda não tinha feito nenhum. Por que foi convidado?

Acho que foi porque o queriam.

Grande coisa? Eu acho que sim. Acho que é significativo que as pessoas comuns de um pequeno povoado desfrutasse de estar com Jesus. Creio que vale a pena destacar que o Todo Poderoso não se comportava de maneira arrogante. O Santo não era santarrão. Aquele que tudo sabia não era um sabichão. O que fez as estrelas não tinha a cabeça metida nelas. Aquele que possui tudo o que há na terra nunca a percorreu com altivez.

Nunca. Podia tê-lo feito. Certamente poderia tê-lo feito!

Poderia ter sido dos que deixam escapar nomes ao descuido: "Alguma vez te falei da ocasião em que Moisés e eu subimos a montanha?".

Poderia ter sido jactancioso: "Escuta, desejas que te tele-transporte para o século vinte?".

Poderia ter sido um convencido: "Sei o que estás pensando. Quer que demonstre?".

Poderia ter sido altaneiro e soberbo: "Possuo algumas terras em Júpiter...".

Jesus poderia ter sido todas essas coisas, porém não foi. Seu propósito não era jactar-se, senão somente acudir. Esforçou-se sobremaneira por ser tão humano quanto qualquer outro. Não necessitava estudar e ainda assim ia à sinagoga. Não tinha necessidade de ingressos e ainda assim trabalhava numa oficina. Conhecia a comunhão com os anjos e escutava as harpas do céu, e ainda assim assistia a festas organizadas por cobradores de impostos. E sobre suas costas pesava o desafio de redimir a criação, e ainda assim dedicou o tempo de percorrer a pé os cento e quarenta e quatro quilômetros que separavam Jericó de Caná para assistir a uma boda.

Como resultado, as pessoas o queriam. Obviamente que havia quem se burlasse de suas declarações. O chamavam blasfemo, mas nunca o acusaram de fanfarrão. O acusaram de heresia, mas nunca de arrogância. O culparam de radical, mas nunca de inacessível.

Não existe indício de que alguma vez tenha usado sua condição celestial para ganância pessoal. Jamais. Simplesmente você não tem a impressão de que seus vizinhos tenham se cansado de sua arrogância e perguntassem: "Pois bem, quem você se acha que é?".

Sua fé fazia com que o amassem, não que o detestassem. Tomara que a nossa produzisse o mesmo efeito!

De onde tiramos a idéia de que um bom cristão é um cristão solene? Quem iniciou o rumor de que o que identifica um discípulo é uma cara comprida? Como criamos esta idéia de que os verdadeiramente dotados são os de coração pesaroso?

Posso declarar uma opinião que talvez produza um levantar de sobrancelha? Posso dizer por que acho que Jesus foi ao casamento? Penso que foi ao casamento para... fique firme, preste atenção ao que falo, permita-me que o diga antes que esquente o breu e depene a galinha... Acredito que Jesus foi à boda para divertir-se.

Considere isso. Tinha sido uma temporada difícil. Quarenta dias no deserto. Nada de comida nem água. Uma confrontação com o diabo. Uma semana dedicada à iniciação de uns novatos galileus. Uma mudança de trabalho. Saiu de casa. Não tem sido fácil. Um descanso seria bem-vindo. Uma boa comida com bom vinho, acompanhado de bons amigos... pois bem, parece bastante agradável.

Assim que para lá se dirigem.

Seu propósito não era o de converter a água em vinho. Isso foi um favor para seus amigos.

Seu propósito não era o de demonstrar poder. O anfitrião do casamento nem sequer soube o que Jesus tinha feito.

Seu propósito não era o de pregar. Não consta que tivesse havido um sermão.

Realmente, sobra só um motivo. Diversão. Jesus foi ao casamento porque queria aquela gente, gostava da comida e, o céu não permita, até pode ser que tenha desejado dar um par de voltas dançando com a noiva. (Depois de tudo, Ele mesmo está preparado para uma grande boda. Será que queria praticar?).

Assim que, perdoem-me, diácono Pó-Seco e irmã Coração-Triste. Lamento arruinar sua marcha fúnebre, mas Jesus era uma pessoa amada. E seus discípulos devem tê-lo sido também. Não falo de libertinagem, bebedeira e adultério. Não apóio a transigência, a grosseria nem a obscenidade. Sou somente um cruzado em favor da liberdade de desfrutar de uma boa piada, dar vida a uma festa enfadonha e apreciar uma noite divertida.

Talvez estes pensamentos te surpreendam. A mim também. Não acuso Jesus de ser amante de festas. Mas ele era. Seus adversários o acusavam de comer demasiado, beber demasiado e de andar com o tipo menos adequado de pessoas! (Veja Mateus 11:19). Devo confessar: faz tempo que não me acusam de divertir-me demasiado. E você?

Costumávamos ser bons nisso. O que aconteceu? Que aconteceu com o gozo puro e o riso sonoro? Será que nossas gravatas nos enforcam? Será que nossos diplomas nos dignificam? Será que os bancos da igreja nos deixam duros como varas?

Não seria possível que aprendamos a ser crianças outra vez?

Tragam as bolinhas de gude... (e qual é se os sapatos se estragam?).

Tragam o bastão e a luva de basebol... (e daí se depois os músculos doem?).

Tragam os doces... (e daí se grudam nos dentes?).

Volte a ser criança. Seja simpático. Ria. Molhe sua bolacha no leite. Durma uma sesta. Peça perdão se fere alguém. Persiga uma borboleta. Volte a ser criança.

Relaxe. Não tem pessoas para abraçar nem pedras para pular nem lábios para beijar? Alguém deve rir do coelho Pernalonga... Por que não você? Algum dia você aprenderá a pintar... Por que não fazê-lo agora? Algum dia será aposentado... Por que não fazê-lo hoje?

Não quero dizer aposentar-se do trabalho, mas sim aposentar-se da atitude. Sinceramente, alguma vez as queixas melhoraram um dia? Você tem pagado as contas com resmungos? Tem produzido alguma mudança a preocupação pelo amanhã?

Deixe que outro controle o mundo por um tempo.

Jesus dedicou tempo para uma festa... Não deveríamos fazê-lo nós também?


Texto Max Lucado, Livro Quando Deus Sussurra seu nome !

23 de fevereiro de 2009

As Quatro Estações, a Formiga e a Cigarra




Um breve comentário: Sempre anotei na minha agenda os cultos que frequentei, temas, versículos chaves para estudar novamente em casa. Mas agora decidi fazer isso em forma de blog, para poder, quem sabe um dia compartilhar com outras pessoas. Se você foi ao culto esta semana, se quiser compartilhar a mensagem pregada, entre em contato através do blog para podermos publicar.

22.02.2009

Culto : Sede
Pregação : Pastor Edson

"Faça o possível para vir antes do inverno. " II Tm 4.21b

Uau ! Que culto maravilhoso. Pastor baixinho, cabelo branco, 76 anos e com um vigor de um varão de 18 anos. Com certeza, deixa muitos jovens como eu para trás.
O culto era o encerramento do congresso da terceira idade, chamada no culto de a melhor idade.
Paulo estava já no fim de sua carreira quando escreveu esta carta à Timóteo.

"Quanto a mim, a hora já chegou de eu ser sacrificado, e já é tempo de deixar esta vida. Fiz o melhor que pude na corrida, cheguei até o fim, conservei a fé." II Tm 04.06-07

Paulo diz a Timóteo, "Venha me ver logo, depressa", versículo 9. Não podemos mesmo perder tempo, pois o inverno logo está chegando. O pastor Edson fez uma doce comparação no culto.
Olhando para a platéia, entre jovens, crianças, adultos e idosos ele comparou a nossa vida aqui neste mundo como as 4 estações do ano.


Primavera : De 0 aos 30 anos. É o tempo em que nascemos, desabrochamos. Podemos fazer tudo nessa estação cheia de vigor, força.
Verão : Dos 30 aos 45. É a estação que produzimos frutos, em que amadurecemos. Vem os filhos, projetos, casa, profissão.
Outono : Dos 45 aos 60. É uma estação de mudança. As folhas começam a cair, o corpo começa a ficar cansado e começa a dar sinais que o inverno está chegando.
Inverno : Dos 60 em diante. É o final de nossa carreira. Tudo fica mais difícil não é ?Que nem no inverno, levantar, andar, correr, sentar...tudo com mais dificuldade.

Estas são as 4 estações de nossa vida. Pastor Edson contou uma historinha bem famosa. A historinha da cigarra e da formiga. Todos conhecem não é ? A formiga recolheu os mantimentos durante a primavera, verão, outono para que no inverno não lhe faltasse oque comer. Já a cigarra apenas cantou,e quando chegou o inverno não tinha oque comer.
Na nossa vida na igreja, somos cigarras ou formigas ? Se Jesus voltasse agora, durante as estações do ano,você cantou ? ou trabalhou ? (essa doeu em mim também). Obrigado Jesus por nos corrigir e falar conosco.


Sobre ser prudente e trabalhar para que não nos falte recursos no inverno( fim da nossa carreira) foi citado também a passagem em Mateus 25. A parábola das 10 virgens. Cinco virgens foram prudentes e guardaram o azeite nas suas lâmpadas.

Quando Jesus vier não haverá mais tempo para irmos para igreja procurar mantimentos, azeite. Temos que ser prudentes hoje, agora.
Foi citado João 9.4 "É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar."
Para finalizar :
"Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo." Mateus 24.13

22 de fevereiro de 2009

Símbolos

Existem muitos símbolos cristãos e pagãos que vemos todos os dias por aí. Toda semana quero trazer alguns destes símbolos aqui para o blog e de certa forma compartilhar com vocês. Ás vezes colocamos dentro de nossa casa algum símbolo pagão e nem sabemos oque se trata. Quando tivermos um apanhado com os principais símbolos eu disponibilizarei um arquivo *.pdf para download. Se alguém quiser contribuir, estou a disposição.
Meu email é : krealmablu@gmail.com

Hoje vamos começar com um dos primeiros símbolos do cristianismo. O peixe.

ICHTHUS


A palavra grega para peixe é ICHTHUS e as suas cinco letras formam o acrônimo grego com a frase:
Iesus Christus Theou Yicus Soter, que quer dizer: Jesus Cristo filho de Deus Salvador.

O desenho de um peixe tornou-se símbolo dos primeiros cristãos que, em tempos de perseguição, o usavam como sinal secreto da fé.

Onde, para um cristão identificar se uma outra pessoa era irmão na fé, desenhava um arco na areia. Se a outra pessoa era cristã, desenhava o arco ao contrário, formando assim, o desenho de um peixe.

Com o passar dos anos a figura do peixe associou-se então ao Cristianismo.

Jesús Adrián Romero

Uma das músicas que mais me tocou nesses últimos tempos, foi "Meu Universo", interpretada pelo PG. Que declaração de amor hein ? O compositor desta música se chama Jesús Adrián Romero, e é um mexicano pouco conhecido no Brasil. Vale a pena a indicação, muito bom o louvor deste servo de Deus. E é um compositor que já tem várias músicas interpretadas por cantores famosos por aí. Que Deus te abençoe neste domingo.



Que seas mi universo
No quiero darte solo un rato de mi tiempo
No quiero separarte un día solamente
Que seas mi universo
No quiero darte mis palabras como gotas
Quiero un diluvio de alabanzas en mi boca

Que seas mi universo
Que seas todo lo que siento y lo que pienso
Que seas el primer aliento en la mañana
Y la luz en mi ventana
Que seas mi universo
Que llenes cada uno de mis pensamientos
Que tu presencia y tu poder sean mi alimento
Oh Jesús es mi deseo...

Que seas mi universo
No quiero darte solo parte de mis años
Te quiero dueño de mi tiempo y de mi espacio
Que seas mi universo
No quiero hacer mi voluntad, quiero agradarte
Y cada sueño que hay en mi quiero entregarte

Português
Que sejas meu universo
Não quero dar-te só um pouco do meu tempo
Não quero dar-te um dia apenas da semana

Que sejas meu universo
Não quero dar-te as palavras como gotas
Quero que saia um dilúvio de bençãos da minha boca

Que sejas meu universo
Que sejas tudo o que sinto e o que penso
Que de manhã seja o primeiro pensamento
E a luz em minha janela

Que sejas meu universo
Que enchas cada um dos meus pensamentos
Que a tua presença e o teu poder sejam alimento
Jesus este é o meu desejo

Que sejas meu universo
Não quero dar-te só uma parte dos meus anos
Te quero dono do meu tempo e dos meus planos

Que sejas meu universo
Não quero a minha vontade
Quero agradar-te
E cada sonho que há em mim quero entregar-te

21 de fevereiro de 2009

Religião Inconsciente


Nota : Gosto muito dos livros de Max Lucado, e estou no momento lendo o livro
"Quando os anjos silenciaram", gostaria de compartilhar o capítulo 4 com vocês. É longo, mas vale a pena ler. Que Deus abençoe vocês !



CAPÍTULO 4

Religião Inconsistente
"Condoído, Jesus tocou-lhes os olhos, e imediatamente recuperaram a vista, e o foram seguindo." Mateus 20.34

Acontece nos negócios quando fabricamos produtos que ficam encalhados.Acontece no governo quando mantemos departamentos inúteis.Acontece na medicina quando a pesquisa não sai do laboratório.Acontece na educação quando os objetivos são as notas e não o aprendizado.E aconteceu no caminho de Jerusalém quando os discípulos de Jesus queriam impedir que os cegos se aproximassem de Cristo."Saindo eles de Jerico, uma grande multidão o acompanhava. E eis que dois cegos, assentados à beira do caminho, tendo ouvido que Jesus passava, clamaram: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de nós!"O povo repreendeu os cegos para que se calassem, mas eles gritavam mais alto ainda: "Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de nós!"Jesus parou e disse aos cegos: "O que vocês querem que eu lhes faça?"Eles responderam: "Senhor, queremos enxergar."
Jesus "tocou-lhes os olhos, e imediatamente recuperaram a vista e o foram seguindo".
Mateus não relata por que o povo não permitiu que os cegos se aproximassem de Jesus — mas é fácil imaginar. Desejam protegê-lo. Ele se encontra em uma missão, uma missão crítica. O futuro de Israel está em jogo. Ele é um homem importante com uma tarefa crucial. Não tem tempo a perder com indigentes à beira do caminho.Além disso, olhe para eles. Sujos. Espalhafatosos. Desprezíveis. Inoportunos. Será que não aprenderam boas maneiras? Não têm dignidade? Essas coisas devem ser conduzidas de maneira apropriada. Que falem primeiro com Natanael, que falará com João, que falará com Pedro, que então decidirá se vale a pena aborrecer o Mestre com um assunto de tal natureza.Porém, apesar da sinceridade, os discípulos estavam errados.E o mesmo acontece conosco quando pensamos que Deus está atarefado demais para dar atenção aos humildes ou é formal demais para tratar de assuntos insignificantes. Quando pessoas próximas de Cristo impedem que alguém se aproxime dele, a religião torna-se vazia, oca. Religião inconsistente.Um fato incrivelmente semelhante a esse ocorreu em um hospital de San Antônio.Paul Loetz sofreu uma queda violenta e teve o pulmão perfurado, costelas fraturadas e lesões internas. Prostrado em uma sala de pronto-socorro, quase inconsciente, ele talvez tenha imaginado que a situação não poderia piorar ainda mais.Mas piorou. Deitado em seu leito, viu os dois médicos responsáveis por ele discutindo para saber quem colocaria um tubo dentro de seu peito esmagado. A discussão passou para a agressão física e um dos médicos ameaçou chamar a polícia para retirar o colega do local."Por favor, salvem minha vida", implorou Loetz enquanto os médicos lutavam ao lado dele.Os dois médicos estavam discutindo sobre procedimentos. Enquanto brigavam, dois outros colegas assumiram a responsabilidade pelo paciente e salvaram sua vida.Difícil acreditar nisso? Ignorar uma emergência para discutir pontos de vista? No entanto, acontece — mesmo nas igrejas. Há algum tempo recebi o telefonema de um homem que costuma ouvir meu programa de rádio. Ele cresceu num lar não-cristão. Porém, trabalha com dois cristãos de denominações diferentes. Considerei estranho o telefonema desse meu ouvinte uma vez que seus colegas eram cristãos. Ele me disse o seguinte: "Cada um diz uma coisa diferente. Tudo o que quero é encontrar a Jesus."Acontece hoje.Acontece quando uma igreja dedica mais tempo em discussões sobre o estilo do templo do que sobre as necessidades dos famintos. Acontece quando os membros mais ilustres da igreja se ocupam com controvérsias tolas e não com verdades sublimes. Acontece quando uma igreja é mais conhecida por sua posição diante de um determinado assunto do que por sua confiança em Deus.Acontece hoje. E aconteceu naquela época.Aos olhos daqueles que estavam próximos de Jesus, os cegos não tinham nenhum direito de aborrecer o Mestre. Afinal, ele está a caminho de Jerusalém. O Filho do homem está prestes a estabelecer o reino. Não tem tempo para ouvir o clamor de uns pobres cegos à beira do caminho.E por isso, o povo os repreendia para que se calassem.Não passam de um estorvo, aqueles cegos. Veja seus trajes. Veja como procedem. Veja como clamam por ajuda, Jesus tem coisas mais importantes a fazer do que ser importunado por pessoas insignificantes.Jesus pensou de outra maneira. Ele condoeu-se dos cegos, "tocou-lhes os olhos e imediatamente recuperaram a vista".Jesus ouve o clamor dos cegos apesar do burburinho ao redor. E no meio de toda a multidão, são os cegos que realmente vêem Jesus.Os dois cegos entenderam instintivamente que Deus está mais preocupado com a pureza do coração humano do que com a perfeição de roupas ou procedimentos. Sabiam de alguma forma que a falta de método poderia ser compensada com motivo, por isso gritaram com toda a força de seus pulmões. E foram ouvidos.Deus sempre ouve aqueles que o buscam. Posso dar um outro exemplo? Retroceda alguns séculos na História.
Ezequias, rei de Israel, que provocou um avivamento religioso naquela nação, exorta o povo a abandonar falsos deuses e retornar ao Deus verdadeiro. Exorta o povo a seguir para Jerusalém a fim de celebrar a Páscoa. Mas há dois problemas.Primeiro, fazia muito tempo que o povo não participava da celebração da Páscoa por causa da impureza de seu coração. Ninguém está preparado para tal solenidade. Até mesmo os sacerdotes haviam adorado ídolos e descumprido a observação dos rituais necessários para a purificação.Segundo, Deus ordenara que a Páscoa fosse celebrada no décimo quarto dia do primeiro mês. Ezequias só consegue reunir o povo no segundo mês.Portanto a Páscoa foi realizada com um mês de atraso com a participação de pessoas de corações impuros.Ezequias orou por elas: "O Senhor, que é bom, perdoe a todo aquele que dispôs o coração para buscar o Senhor Deus, o Deus de seus pais, ainda que não segundo a purificação exigida pelo santuário."Você entende o dilema?Como Deus age quando o motivo é puro mas o método é incorreto?"Ouviu o Senhor a Ezequias, e sarou a alma do povo."
Mais vale um coração puro com um ritual incorreto do que um coração impuro com um ritual correto Algum tempo atrás, quando estava em Atlanta, Geórgia, para participar de uma conferência, telefonei para casa e conversei com Denalyn e minhas filhas. Jenna, na época com cerca de cinco anos de idade, disse que tinha uma surpresa para mim. Levou o telefone até perto do piano e começou a tocar uma composição desconhecida.Do ponto de vista musical, a canção deixava muito a desejar. As marteladas de Jenna nas teclas do piano abafavam o som da música. Não havia ritmo. Não havia rima nos versos. As palavras não tinham conteúdo. Tecnicamente a canção era um fracasso.Mas para mim era uma obra-prima. Por quê? Porque Jenna a compôs especialmente para mim.Papai, você é maravilhoso.Sinto muito sua faltaQuando você está longe fico triste e choro.Volte logo para casa.Que pai não gostaria dessa canção? Que pai não se sentiria lisonjeado mesmo diante de uma homenagem desafinada?Alguns de vocês devem estar franzindo as sobrancelhas. "Espere um pouco, Max. Você está dizendo que o método que utilizamos para nos aproximar de Deus é irrelevante? Está dizendo que o importante é o motivo pelo qual nos dirigimos a Deus? Que a maneira como nos aproximamos dele é relativa?"
Não, não é isso o que estou querendo dizer (mas gosto da pergunta). O ideal é que nos aproximemos de Deus com motivo certo e método certo. Ás vezes fazemos isso. Às vezes as palavras de nossa oração são tão bonitas quanto o motivo que existe por trás delas. Às vezes a maneira como cantamos é tão forte quanto a razão pela qual cantamos.As vezes nosso culto é tão atraente quanto sincero.Porém, nem sempre é assim. Muitas vezes tropeçamos nas palavras, e nossa música é imperfeita. Muitas vezes nosso culto é inferior ao que pretendíamos. Muitas vezes nossas súplicas pela presença de Deus atraem a atenção tanto quanto as súplicas dos cegos à beira do caminho."Senhor, ajuda-me."E às vezes, mesmo nos dias de hoje, discípulos sinceros nos repreenderão para que nos calemos até aprendermos a agir corretamente.Jesus não repreendeu os cegos. Deus não disse a Ezequias para cancelar a comemoração. Eu não disse a Jenna para treinar mais um pouco e me telefonar outra vez quando estivesse apta.Os cegos, Ezequias e Jenna, todos deram o melhor de si — e isso bastou."Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração."

Que promessa! E ele a cumpriu com os cegos.A última cena da história é fascinante. Os dois cegos mal vestidos, mal-cheirosos mas com olhos brilhantes estão caminhando — ou melhor, saltitando — atrás de Jesus na estrada de Jerusalém. Apontando, flores cujo perfume sempre sentiram sem nunca ter podido vê-las. Enxergando o sol cujo calor sempre sentiram sem nunca ter podido vê-lo. Irônico, dentre todas as pessoas na estrada naquele dia, eles eram os únicos com visão perfeita — mesmo antes de poder enxergar.

17 de fevereiro de 2009

Esdras 10.1

Um breve comentário: Sempre anotei na minha agenda os cultos que frequentei, temas, versículos chaves para estudar novamente em casa. Mas agora decidi fazer isso em forma de blog, para poder, quem sabe um dia compartilhar com outras pessoas. Se você foi ao culto esta semana, se quiser compartilhar a mensagem pregada, entre em contato através do blog para podermos publicar.

17.02.2009

Culto : Sede
Pregação : Pastor Adão

"Ora, enquanto Esdras orava e fazia confissão, chorando e prostrando-se diante da casa de Deus, ajuntou-se a ele, de Israel, uma grande congregação de homens, mulheres, e crianças; pois o povo chorava amargamente."

Calor em Blumenau, 25 minutos de caminhada até igreja. Primeira vez que vejo pastor Adão pregar. A mensagem central foi a cerca da união. Deus queria que o povo de Israel permanecesse unido, mas seus filhos casavam com mulheres hetéias. A mulher era responsável pela educação no lar, enquanto o homem cuidava de outros assuntos concernentes a lavoura, construção e guerra. A mulher estrangeira que ensinava os filhos de Israel e cultuarem deuses estranhos e essa mistura não agrada o Deus Altíssimo. Esdras quando viu aquilo tudo errado se prostrou, chorou, lamentou, se amargurou, provocando um arrependimento de Israel. Esdras uniu o povo, como Deus tem em seu plano.
Um cristão sozinho é alvo fácil, mas juntos somos mais difíceis de ser derrubados. Pastor Adão falou da união dos irmãos dentro da igreja, de como é bom conhecer e se envolver com o próximo. De como devemos pensar e se preocupar mais com o bem estar do próximo. Orar mais pelo camarada que senta no meu lado do banco, que ás vezes nem o nome eu sei. Foi citada a passagem no Salmo 133:

(1) Como é bom e agradável
que o povo de Deus viva unido
como se todos fossem irmãos!
(2) É como o azeite perfumado
sobre a cabeça de Arão,
que desce pelas suas barbas
e pela gola do seu manto sacerdotal.
(3) É como o orvalho do monte Hermom,
que cai sobre os montes de Sião.

Aprendi que óleo da cabeça, pode ser figurado como "sendo guiado pelo Espírito Santo".
Aprendi que óleo na barba, pode ser figurado como "uma pessoa de caráter".
Aprendi que óleo nas vestes, pode ser figurado como "testemunho de vida".

Ainda no Salmo 133, Pastor Adão também deu exemplo do orvalho x tempestade. Orvalho molha a terra suavemente, enquanto a tempestade danifica a terra. Estamos sendo em nossa casa, orvalho ou tempestade ? Na educação de nossos filhos se formos tempestade, tempestade ele será também. O filho se baseia no exemplo em casa do pai.

Nota sobre Salmo 133 : Essas palavras aplicavam-se à união fraternal usufruída pelo antigo povo de Deus, os israelitas. Quando se encontravam em Jerusalém para as suas três festividades anuais, moravam juntos em união. Embora procedessem de várias tribos, eram uma só família. Estarem juntos tinha um efeito salutar sobre eles, como um refrescante óleo de unção, de aroma agradável. Quando um óleo desse tipo era derramado sobre a cabeça de Arão, escorria pela barba e até o colarinho da sua veste. Para os israelitas, estarem juntos exercia uma boa influência que permeava o povo reunido como um todo.

Mais uma nota sobre o Salmo 133: Tempestade no monte Hermon era ruin, pois as correntes de água destruiam a vegetação. Vegetação esta, que protegia da Neve no inverno. Que similaridade havia entre Israel morar junto em união e o orvalho do monte Hermom? Ora, visto que o cume deste monte se encontra a uns 2.800 metros acima do nível do mar, ele está coberto de neve quase o ano inteiro. O cume nevado do Hermom provoca a condensação da névoa noturna, produzindo assim o orvalho abundante que preserva a vegetação durante o longo período de estio. Correntes de ar frio que descem da cordilheira do Hermom podem levar essa névoa para o sul até a região de Jerusalém, onde se condensa como orvalho. De modo que o salmista estava certo em falar de ‘o orvalho do Hermom descer sobre o monte Sião’.


Monte Hermon

Remoer as mensagens pregadas após os cultos nos faz fixar melhor a palavra e aumenta o aprendizado com certeza. Algumas citações que anotei na hora do culto :

"consigo ficar 3 horas na frente do computador, mas não consigo ficar 30 minutos orando. Nossa atenção é preciosa, por isso o inimigo usa tais armadilhas para prender nossa atenção" (essa levei uma cajadada)
"convide seus irmãos da igreja para jantar, tomar café na sua casa. Não somente aqueles que te retribuirão, mas convide aqueles que não tem condições de te convidar"
"diabo ataca individualmente" (referindo-se a manter-se unidos).

E isso aí, anotando e aprendendo.
Paz do Senhor a todos.

Lifehouse - Coreografia + Teatro

Isaías 5.1-6

15.02.2009
Culto : Sede
Pregação : Pastor Elizeu (E.U.A)

(1) Agora, cantarei ao meu amado o cântico do meu querido a respeito da sua vinha. O meu amado tem uma vinha em um outeiro fértil. (2) E a cercou, e a limpou das pedras, e a plantou de excelentes vides; e edificou no meio dela uma torre e também construiu nela um lagar; e esperava que desse uvas boas, mas deu uvas bravas. (3) Agora, pois, ó moradores de Jerusalém e homens de Judá, julgai, vos peço, entre mim e a minha vinha. (4) Que mais se podia fazer à minha vinha, que eu lhe não tenha feito? E como, esperando eu que desse uvas boas, veio a produzir uvas bravas? (5)Agora, pois, vos farei saber o que eu hei de fazer à minha vinha: tirarei a sua sebe, para que sirva de pasto; derribarei a sua parede, para que seja pisada; (6) e a tornarei em deserto; não será podada, nem cavada; mas crescerão nela sarças e espinheiros; e às nuvens darei ordem que não derramem chuva sobre ela.

Meu aprendizado : Este trecho é uma parábola em forma de cântico. Originalmente destinada ao povo de Israel. Mas sabemos que toda escritura, mesmo do antigo testamento, serve para nosso ensino e instrução.

1 Coríntios 10:11
Tudo isso aconteceu com os nossos antepassados a fim de servir de exemplo para os outros, e aquelas coisas foram escritas a fim de servirem de aviso para nós. Pois estamos vivendo no fim dos tempos.


A parábola fala que Deus escolheu uma vinha em um outeiro muito fértil. Representa a escolha de Deus por nós, ele nos escolheu mesmo que não fossemos merecedores. E seu cuidado conosco continua, ele cercou a vinha. Quem cerca toma propriedade, zela, cuida.
E tirou as pedras do terreno. Tirar as pedras e entulhos do terreno do nosso coração serve para que a semente tenha lugar para se desenvolver, para que a terra não tenha imperfeições e seja terra boa para a videira possa desenvolver frutos. Na pregação, o pastor se referiu as pedras como perdão. Ele nos dá perdão, ele retira as pedras que existem em nossa vida.
E plantou excelentes vides. E no meio da vide, edificou uma torre de vigia. A torre representa o Espírito Santo vigiando os que são seus, fica no centro, dentro, zelando. Também construiu um lagar. Lagar é o local onde se pisam frutos para separar sua parte líquida da massa sólida, como as azeitonas para fazer azeite ou as uvas para elaborar vinho. O cuidado de Deus era tanto, que ali mesmo fez o lagar, para ficar pertinho de sua plantação.
Tudo foi feito de forma perfeita por Deus para que a videira desse fruto. Mas os seus frutos na época da colheita estavam azedos, não puderam ser aproveitados.
E Deus pergunta se colocando a prova: "Existe algo que eu poderia ter feito que eu não fiz ?". Ou seja, quando não produzimos frutos o problema está em nós, por que Deus sempre nos dá condições de produzirmos frutos.
Estamos aqui para produzir frutos para Deus. Oque estamos produzindo? E se Jesus voltar hoje, agora, oque temos em mãos para apresentar?

No final da passagem podemos conhecer qual é o destino daqueles que não produzem frutos:

(5)Agora, pois, vos farei saber o que eu hei de fazer à minha vinha: tirarei a sua sebe, para que sirva de pasto; derribarei a sua parede, para que seja pisada; (6) e a tornarei em deserto; não será podada, nem cavada; mas crescerão nela sarças e espinheiros; e às nuvens darei ordem que não derramem chuva sobre ela.


16 de fevereiro de 2009

Confiar no Senhor é a Melhor atitude

Enviado por Robson Cordeiro

E creu ele no SENHOR, e foi-lhe imputado isto por justiça (Gênesis 15.6).

O que de mais importante podemos fazer é crer em Deus. Muita coisa está implícita no ato de crer, como a declaração de que somos amigos de Deus – e um verdadeiro amigo confia no outro (Tiago 2.23). Mesmo sendo amigos, nós nos colocamos como servos do Senhor, porque aceitamos Sua Palavra como soberana. Por confiarmos no Altíssimo, estamos dizendo ao diabo que ele é mentiroso, e Deus, verdadeiro.

Por outro lado, quando não cremos no que o Pai nos fala, não só estamos fazendo uma obra má, mas também dizendo que Satanás está certo e que o Senhor, nem sempre, tem razão. O ato de crer no que o Todo-Poderoso nos fala é mais sério do que pensamos.

O que o nosso Deus nos diz constitui-se em um mandamento e sempre será um desafio, pois é algo novo para nós. Deixar de crer no que Ele nos declara é como afirmar que não confiamos nEle, o que é gravíssimo. Se confessarmos explícita ou implicitamente que não confiamos no Senhor, quando precisarmos dEle, não O teremos como nossa fortaleza e nosso socorro bem presente na tribulação (Salmo 46.1; Isaías 59.1,2).

Por outro lado, quem confia em Deus sempre será bem-sucedido. Ele, como verdadeiro Pai, só tem o melhor para os Seus e jamais colocaria algum deles em uma situação difícil ou ruim. Quem aceita a vontade divina prova o Seu melhor. Entretanto, a recíproca é verdadeira: quem se recusa a dar ouvidos a Ele deixa o inimigo levá-lo a experimentar o pior que existe. Não queira, nem mesmo em pensamento, deixar de crer no Senhor.

Há quatro mil anos, Abraão resolveu depositar sua confiança no Senhor. Era uma situação desafiadora deixar a sua terra e partir para um lugar que lhe seria mostrado depois. Ele andou como peregrino aqui na terra e nunca encontrou a cidade, cujo artífice e construtor fosse o próprio Deus. No entanto, sempre O teve ao seu lado e, hoje, na Glória, desfruta das delícias celestiais. Se tivesse optado por não considerar a chamada divina, como estaria ele?

Em qualquer situação, creia na Palavra do Senhor. Seja obediente em tudo, e você O terá como o seu Deus, Amigo dos seus amigos e Inimigo dos seus inimigos. Ele jamais irá abandoná-lo. Quando se fizer necessário, pode confiar, pois Ele estará bem pertinho para ajudá-lo.

Agora mesmo confie no Pai celeste. Creia no que você tem aprendido nas Escrituras. O que Ele lhe tem falado é da vontade dEle. Quem crer na Palavra desfrutará do melhor desta terra (Isaías 1.19). Seja você também um desfrutador desse melhor.

Em Cristo, com amor,

Alexandre, o Grande

Enviado por Robson Cordeiro

Os 3 últimos desejos de ALEXANDRE O GRANDE:


1, Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2, Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistado como prata , ouro, e pedras preciosas ;
3, Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a ALEXANDRE quais as razões desses pedidos e ele explicou:

1, Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2, Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3, Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Pensem nisso...